terça-feira, 7 de setembro de 2021

sábado, 14 de novembro de 2020

História do Moreno I

 Segue abaixo o primeiro vídeo sobre a História do Moreno da Série História do Moreno, pelo Professor James Davidson




quarta-feira, 3 de junho de 2020

15 anos da Cheia de 2005

Por James Davidson

Rio Jaboatão Fonte: Climatempo

Em 02 de junho de 20202 completam 15 anos de uma das maiores tragédias que atingiram o Centro de Jaboatão e de Moreno. Na tarde de 02 de junho de 2005 as chuvas torrenciais que atingiram a região fizeram o rio Jaboatão transbordar. As águas subiram rapidamente alcançando cerca de 15 metros acima do normal. Centenas de casas foram arrastadas pelas águas em Moreno e nos bairros da Vila Rica, Moenda de Bronze, Centro, Engenho Velho e Socorro em Jaboatão. Milhares de pessoas ficaram desabrigadas, sendo refugiadas em escolas e espaços públicos.


Em Moreno as águas do rio Jaboatão ultrapassaram o nível da Ponte Santa Maria, inundando o ABC, o Centro e a Avenida Dr. Sofrônio Portela. Dezenas de casas localizadas ás margens do rio foram destruídas nos bairros do Matadouro e N.s da Conceição, que também foram atingidos, assim como o bairro de Tamboatá. Centenas de famílias ficaram desabrigadas, sendo alocadas para escolas e outros espaços públicos.


Em Jaboatão as águas inundaram o pátio da feira, lojas comerciais e a Avenida Barão de Lucena. Dezenas de comerciantes perderam seus estabelecimentos enquanto muitos moradores da comunidade de Moenda de Bronze perdiam suas casas. As águas chegaram a ultrapassar o nível da Ponte da Vila Rica, que acabou ficando danificada com a força da corrente. Um morador chegou a morrer sendo arrastado pelas águas ao tentar salvar um botijão de gás.

O governo federal na época mandou uma ajuda de apenas 500 mil reais. Igrejas, associações de bairro e outras instituições similares realizaram uma grande mobilização para arrecadar roupas e suprimentos para os desabrigados. Destaque para a IBCJ (Igreja Batista Central do Jaboatão, sob o comando do Pastor Davi Farias) que realizou uma grande operação, ajudando centenas de necessitados. A ajuda também veio do pentacampeão Rivaldo e do governo da Holanda que ajudaram na construção de casas em Moreno para os desabrigados, na época do prefeito Edvard Bernardo, vindo daí a fundação da Vila Holandesa. Enquanto a prefeitura de Moreno ajudou na construção dessas casas, a prefeitura de Jaboatão, na época sob a gestão de Newton Carneiro, nada fez, deixando os moradores à própria sorte. Somente dez anos depois foi construído pelo governo estadual um conjunto de casas na antiga Usina Jaboatão, destinadas aos desabrigados da cheia.

A cheia foi tão grande que muita gente acredita que não foi causada por fatores naturais, atribuindo o incidente a uma suposta represa que se rompeu, ou mesmo repetindo o Mito de que Tapacurá teria se rompido. Vale lembrar que Tapacurá faz parte da Bacia do Rio Capibaribe, portanto mesmo que a represa se abrisse, as águas atingiram o Recife e São Lourenço da Mata, mas não o rio Jaboatão que faz parte de uma bacia hidrográfica diferente.

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Moreno de Engenho a Cidade - James Davidson






Adquira o livro Moreno de Engenho a Cidade de James Davidson entrando em contato pelo número (81) 98160-8953

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Livros sobre Moreno



O município do Moreno conta com um número significativo de obras sobre a sua história, sua gente e sobre seus engenhos. Entre livros, folhetos e revistas, são vários os trabalhos que abordam o tema ou contribuíram para sua divulgação da memória da Terra de Baltazar. Vejamos os principais:

*    A Casa-grande do Engenho Morenos – Raimundo Paes Barreto: Título de matéria publicada na Revista do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, no ano de 1930. Traz uma descrição da casa-grande do Engenho Morenos, visitada por D. Pedro II em meados do século XIX.

*    Engenho MorenosJoaquim de Sousa Leão Filho: Publicado no ano de 1959 pelo diplomata historiador nascido no Engenho Morenos, conta a história do Engenho de sua família, desde suas origens até a época.

*    Dois Engenhos Pernambucanos Joaquim de Sousa Leão Filho: Matéria publicada na Revista do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN – Volume 13, de 1956. Resume a história dos engenhos Morenos, Gurjaú de Cima e de Baixo.

*    O Barão de Vila Bela Joaquim de Sousa Leão Filho: Terceira obra do diplomata morenense, conta a história de Domingos de Souza Leão, o Barão de Vila Bela, com informações valiosas sobre a história de Moreno.

*    Moreno, Passado e Presente – Sevy Rocha: Esta obra nunca publicada conta a história do município do Moreno sob a perspectiva de quem conheceu os primórdios da cidade como educadora – A professora Severina de Almeida Rocha – Sevy Rocha.

*    História do município do Moreno – Sevy Rocha: Outro manuscrito de autoria de Sevy Rocha nunca publicado. Como o anterior, traz informações inédita e relevantes sobre os primórdios da Cidade do Moreno.

*    Memórias de uma Mestra – Sevy Rocha: É uma autobiografia da professora Sevy Rocha que traz muito da história da cidade durante a primeira metade do século XX.

*    Guia de Endereços e Telefones do Moreno – João Carneiro da Cunha: Lançado em 1976, além de ser uma lista telefônica da cidade, possuía um breve resumo histórico da cidade, embrião dos trabalhos que se seguiriam depois pelo autor.

*    Guia Histórico, Cultural e Informativo do Moreno – João Carneiro da Cunha: Lançado em 1978, foi o primeiro livro propriamente dito do autor, com várias informações históricas da cidade e do município em geral, fotografias de personagens e imagens da cidade.

*    Moreno 50 anos de Emancipação Política - João Carneiro da Cunha: Livro lançado em 1978 em comemoração dos 50 anos de emancipação política do Moreno. Além de vários textos sobre a cidade em geral, destaca vários fatos e pessoas que contribuíram para a Emancipação Política da cidade.


*     Memórias de um árbitro, treinador e dirigente de clubes de futebol - João Carneiro da Cunha: Lançado em 1983, foca inicialmente na história futebolística do município. Em uma segunda seção, denominada “Memórias de quem conhece a Terra da Gente” conta a história do município ao modelo dos trabalhos anteriores do autor.

*    Educação na Cidade dos Eucaliptos – Vera Lúcia Lopes: Lançado em 2009, conta a história da cidade do Moreno com foco na Educação do Município. Possui muitas fotografias antigas da cidade e entrevistas orais.

*    Moreno de Engenho a Cidade - James Davidson - lançado em 2019 pelo professor e escritor James Davidson. Traz um resumo da história do município bem como vários fatos e curiosidades como ruas antigas, fábricas pioneiras e fatos marcantes da história do Moreno.


sexta-feira, 5 de julho de 2019

Errata do Livro Moreno de Engenho a Cidade


Errata do Livro Moreno de Engenho a Cidade


Pg 21 – Onde se lê “As terras do atual município do Moreno ainda pertencentes ao município do Jaboatão, foi um dos locais.” Leia-se “As terras do atual município do Moreno, ainda pertencentes ao município do Jaboatão, foram onde essas mudanças mais se fizeram sentir.
Pg 27 – Onde se lê “que se realizado atravessara o município de norte a sul” leia-se “que se realizado atravessará o município de norte a sul.”
Pg 30 – Onde se lê “ao ex-edil morenense” leia-se “ao ex-edil morenense”.
Pg 38 – Onde se lê “Tendo suas primeiras casas sido construídas” leia-se “tendo suas primeiras casas construídas por essa indústria
Pg 41 – Onde se lê “Clube Manguerinha” leia-se “Clube Madureira”.
Pg 42 – Onde se lê “1940” leia-se “1950”
Pg 43 – No final da última linha onde se lê “as primeiras a ser” leia-se “as primeiras a serem
Pg 50 – Onde se lê “Assim nos traz está em seus escritos” leia-se “Assim nos traz em seus escritos”.
Pg 60 – Onde se lê “Quando então renúncia” leia-se “Quando então renuncía
Pg 89 – Onde se lê “cosias”, na penúltima linha, leia-se “coisas”.
Pg 90 – Onde se lê “Jaboatão, Sua Terra, Suas Gente” leia-se “Jaboatão, Sua Terra, Sua Gente”.
Pg 92 – Onde se lê “1° Morenense da Câmara” leia-se “1° Amanuense da Câmara”.
Pg 94 – Onde se “guisada”, na primeira linha, leia-se “gurisada”.
Pg 95 – Onde se lê “junto aos trabalhadores mais na moita do engenho” leia-se “junto aos trabalhadores na moita do engenho”.
Pg 105 – Onde se lê “governou por 7 anos  leia-se “governou por 6 anos”.


sexta-feira, 7 de junho de 2019

Lançamento do Livro "Moreno de Engenho a Cidade" James Davidson



Convite

Convido a todos morenenses e interessados para o Lançamento do Livro "Moreno de Engenho a Cidade" que acontecerá no próximo dia 05 de Julho, às 9:30, na Câmara de Vereadores do Moreno. Apoio: Prefeitura Municipal do Moreno.