segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Paisagens de Moreno

Por James Davidson

Como produto de minhas andanças e pesquisas pelas terras do município do Moreno, editei o seguinte vídeo intitulado "Paisagens de Moreno". Segue o vídeo:


domingo, 21 de fevereiro de 2016

Retomada do Blog

Prezados leitores a admiradores do Blog Moreno Redescoberto

Saudações

Há quase 10 anos atrás tive a iniciativa de criar uma página virtual que tinha como finalidade principal divulgar os valores desconhecidos e as preciosidades encobertas do nosso querido município do Jaboatão dos Guararapes. O Blog Jaboatão dos Guararapes Redescoberto foi um dos primeiros blogs sobre nossa cidade, inspirando inclusive a criação de muitos outros com temáticas parecidas em nosso município e, também, com a mesma temática em outros municípios do Brasil todo. Foi um trabalho maravilhoso de resgate da autoestima jaboatonense através de postagens sobre os mais variados fatos de nossa história, de lugares escondidos e curiosos, sobre o nosso rico e valioso patrimônio histórico e natural, não ignorando também os problemas políticos, ambientais e sociais de nosso lugar. A contribuição desta página para a sociedade jaboatonense, modéstia à parte, acredito ser indiscutível, embora meu trabalho tenha sido na maioria das vezes ignorado pelos poderes públicos do município, tendo recebido poucas vezes a merecida atenção e o reconhecimento pelo mesmo. Todavia, como nunca fiz isto em busca de promoção pessoal, nem política, pois inicialmente meus objetivos sempre foram mais científicos e sociais que monetários, continuei mesmo assim na jornada de alimentar este blog, apesar das críticas destrutivas que recebi de alguns e das dificuldades mais variadas que se puseram ao meu caminho.
Porém, a maior das dificuldades que enfrentei em manter este blog não sobrevieram do contexto político local, como alguns julgam injustamente, mas sim por dificuldades na minha vida pessoal e particular. Comprometi minha saúde de forma significativa, inicialmente correndo atrás de um sonho de formalizar minhas pesquisas espontâneas com a vida acadêmica, na ingenuidade de acreditar que a universidade fosse um espaço aberto às descobertas e novos horizontes. Ingressei no mestrado em Arqueologia em 2012, após uma tentativa frustrada anterior por motivos que não cabem aqui relatar, mas que foram de sobremaneira injustos. Investir o todo o meu tempo disponível, o pouco meus recursos e de minhas energias em prol do mestrado para ter, infelizmente, meu esforço desprezado e desvalorizado por pessoas que ostentam o título de doutores, mas que não são dignas disso, por não terem o caráter e a imparcialidade necessárias para serem cientistas. Descobri infelizmente que a Academia de hoje tornou-se aquilo que um dia pretendeu não ser: dogmática, autoritária, sofista, demagógica, farisaica, inquisitória, mais semelhante à Igreja Católica Medieval que de fato à um espaço democrático de inovação e de pesquisa. Assim, tive que infelizmente abandonar o mestrado e comprometendo, com isso, boa parte das pesquisas que alimentavam esta página.
Posteriormente, tive que dividir minhas atenções com o município do Moreno, ao qual estou vinculado desde 2010 como funcionário público e professor, contribuindo para esse município, tanto com a criação de um blog semelhante para o mesmo: o Blog Moreno Redescoberto, tanto com a criação de uma apostila sobre a geografia do mesmo, tendo sido distribuída entre os diretores do município. À essa época, tinha sido convidado pelo então secretário de Educação Alilton Gomes para desempenhar a função de Coordenador de Geografia na Secretaria de Educação do Moreno, onde, ocupando cargo não comissionado, mas previsto no Estatuto do Magistério local, desempenhei minhas funções com dedicação e com o orgulho de fazer o melhor para o município, independente da situação política do mesmo, tendo a consciência limpa de não ter prejudicado à ninguém durante o tempo em que ali estive. Participei da elaboração das duas Conferências Municipais de Educação (2013 e 2015) e do Plano Municipal de Educação, sendo este último elaborado com muita dedicação e com a plena consciência de sua idoneidade, legalidade e total respeito ao que foi decidido na conferência aberta à população.
Participei da fundação de duas Academias de Letras: a ALJG (Academia de Letras do Jaboatão dos Guararapes) e AMLA ( Academia de Letras e Artes do Moreno), publiquei meu livro Memórias Destruídas após muitos empecilhos e dificuldades, e ainda iniciei a elaboração de vários outros trabalhos que, infelizmente, continuam incompletos, como um Livro sobre Muribeca dos Guararapes, um livro sobre o Patrimônio Histórico do Jaboatão e um livro sobre o município do Moreno. Todavia, apesar de meus esforços e valiosos trabalhos, sofri várias injustiças no último ano de 2015 e fui acometido por isso por um sério transtorno de ansiedade que resultou em várias idas e vindas aos hospitais, acompanhado de várias crises de cefaleias e enfado, o que prejudicou o meu desempenho em todas as minhas atividades no final do ano passado. Contudo, após três anos consecutivos, tive finalmente o direito de gozar de férias completas no mês de janeiro deste novo ano, acreditando assim ter recebido o merecido repouso depois de tantas atividades e realizações.
Por isso, venho aqui justificar que, até então ,não vinha sendo possível alimentar o blog da maneira que ele merecia ser atendido, tendo paralisado as minhas atividades por um tempo. Porém, venho hoje retomar as atividades do mesmo com esta postagens, esperando assim com a Graça do SENHOR continuar esse valioso trabalho que é valorizar a Memória e a Cultura de todo o Vale do Rio Jaboatão. Agradeço a compreensão de todos e conto com vossas orações.
 
James Davidson
 
 

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Mapa da Bacia do Jaboatão

Por James Davidson

Publico aqui um mapa da Bacia do Jaboatão disponível no Relatório sobre a Barragem do Engenho Pereiras
Fonte: ITEP

Bacia do Jaboatão Fonte: ITEP

domingo, 2 de novembro de 2014

Limites do Moreno

Por James Davidson

O município do moreno limita-se com os municípios vizinhos da seguintes maneira:
Ao norte com o município de São Lourenço da Mata; a leste com o município do Jaboatão dos Guararapes: ao sul com o município do Cabo de Santo Agostinho; e a oeste com o município de Vitória de Santo Antão. Observe o mapa abaixo:




Entretanto, encontrar a descrição precisa de onde se iniciam e onde terminam os limites com cada município é uma tarefa bastante difícil. A descrição de limites do município do Moreno não se faz presente nem na Lei Orgânica Municipal e nem em seu Plano Diretor. Daí, ter sido necessário fazer uma busca intensiva para encontrar a descrição precisa dos mesmos, já que isto é de extrema importância tendo em vista as polêmicas que envolvem alguns deles como, por exemplo, os limites com o município de Vitória de Santo Antão, cuja indecisão gera muitos conflitos.

Dessa forma, consegui após muito esforço encontrar num Diário Oficial antigo a descrição desses limites. Segue abaixo:

Município do Moreno
Limites Municipais

Com o município de Vitória de Santo Antão:
A partir da Pedra do Corre-Moleque, por uma reta para a nascente do córrego Sevinha, desce pelo riacho de mesmo nome até a sua confluência com o Riacho Ceva; desce por este até a sua confluência com o rio Jaboatão; desce por este até a sua confluência com o riacho Una; daí por uma reta para o ponto mais elevado da Serra do Camarão, - Chamado Chã dos Coqueiros; segue pela linha de cumeada da referida Serra pelos limites oeste dos engenhos Tamatá-Mirim e Coqueiros, seguindo até a extremidade da referida serra; daí por uma reta para o ponto de intersecção da linha de cumeada da Serra; daí por uma reta para o ponto que liga a Serra do Toró com a reta que liga o ponto mais alto do Oiteiro de Pedro, à nascente do Córrego Cueiras.

Com o município de São Lourenço da Mata:
A partir da intersecção da linha da cumeada da Serra do Toró com o a reta que liga o ponto mais alto do Oiteiro de Pedra, à nascente do córrego Cueiras por uma reta para a nascente do rio Duas Unas; desce o referido rio até a sua junção com o rio Pixaó.

Com o município do Jaboatão:
A partir da junção do rio Duas Unas com o rio Pixaó por uma reta para o Morro da Macambira; daí por uma reta para a foz do riacho São Salvador, ou Tabatinga, no rio São Salvador.

Com o município do Cabo de Santo Agostinho:
A partir da foz do riacho São Salvador ou Tabatinga, no rio São Salvador, desce por este até sua foz no rio Gurjaú; sobe por este até a foz do riacho das Moças até a sua nascente; daí por uma reta para a Pedra Corre-Moleque.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Academia Morenense de Letras lança seu Blog

Por James Davidson


Como mais uma ação de incentivo da Cultura do município do Moreno, a Academia Morenense de Letras e Artes  - AMLA - cria seu próprio espaço para a divulgação da entidade, de suas ações e de suas atividades. É portanto com muito orgulho que, como membro da AMLA, venho divulgar aqui a criação desta página que irá contribuir para o engrandecimento literário e artístico da Terra de Baltazar. Segue o endereço:

http://academiamorenensedeletrasedeartes.blogspot.com.br/

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Pedra Pelada - O mirante do município

Por James Davidson


Pedra Pelada - Talvez você que mora em Moreno nunca tenha ouvido falar deste lugar. Mas ele fica em Moreno, a poucos quilômetros do Povoado de Massaranduba. Não confundir com a Pedra da Pimenta (esta fica localizada no município do Cabo) ou com a Pedra Corre-Moleque (localizada junto ao Engenho Seva). A Pedra Pelada fica localizada em terras do Engenho Buscaú, a pouco mais de 1 quilômetro mais ao norte da sede desse engenho.


Três são os aspectos que tornam a Pedra Pelada um lugar especial. O primeiro deles é a sua altitude que chega a atingir a altura de 384 metros. Talvez não seja o ponto mais alto do município (O Morro das Torres de Buscaú parece ser mais alto), mas ainda assim o local apresenta uma vista fascinante. Dali é possível avistar um vasto trecho da Região Metropolitana do Recife e da Mata Sul de Pernambuco - desde ao norte partindo de Olinda e São Lourenço da Mata até ao sul desde as terras de Escada e de Ipojuca. É possível avistar a Cidade do Recife, Jaboatão, a orla desde Boa Viagem até Suape, Cabo de Santo Agostinho e Vitória de Santo Antão. No município do Moreno, além da Cidade e do Distrito de Bonança, estão ao alcance da vista os engenhos Jaboatãozinho, Brejo, Contra-açude, Gurjaú-de-Cima, Gurjaú-de-Baixo, Caraúna, Jardim, enfim, toda a região do Vale do Rio Gurjaú, que nasce nas proximidades.



O segundo aspecto é a vegetação local que apresenta ainda, apesar da ocupação dos canaviais no entorno, um aspecto relativamente bem preservado. A Mata Atlântica é a formação nativa da região ocupando o topo da parte mais elevada do conjunto onde se destaca uma única árvore sobressalente. Predomina no local árvores típicas da Mata Atlântica. Curioso é que há também no local espécies xerófilas, típicas da caatinga, que predominam nos trechos desnudos das rochas, onde os solos são rasos ou mesmo inexistentes. A presença dessas espécies é devida, assim, a fatores edáficos, e não a fatores climáticos, pois as taxas de precipitação no local são bastante elevadas.



O terceiro aspecto que torna a Pedra Pelada um lugar especial é a presença de matacões de granito espalhados por toda a localidade. Inclusive, o próprio nome do local é devido a um desses rochedos. Alguns desses matacões possuem dezenas de metros de diâmetro e em suas concavidades são formadas várias furnas onde se abrigam animais. As furnas são pequenas grutas formadas nas rochas que funcionam como abrigo natural para animais. Algumas dessas são tão amplas que permitem facilmente a entrada de seres humanos. Imediatamente vem à mente a possibilidade de haver registros rupestres e outros vestígios arqueológicos no local. Porém, nada até o momento foi encontrado.

Assim, a Pedra Pelada é mais dos lugares interessantes e pitorescos do município do Moreno.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Visita à Pedra Pelada na formação de Geografia

Por James Davidson



No mês de abril 2014 tive a oportunidade de levar os professores da Rede Municipal de Ensino do Moreno para visitar um dos mirantes do município do Moreno - A Pedra Pelada. Como exercia na ocasião a função de Coordenador de Geografia da Equipe de Ensino da Secretaria de Educação do município, tive a iniciativa de levar os professores da disciplina de Geografia para visitar aquele que poderia ser o ponto mais alto do município. Assim, partimos de Moreno rumo à Bonança e, depois à Massaranduba e dali seguimos para a Pedra Pelada. Apesar da vegetação local ter atrapalhado um pouco (o mato havia crescido muito) a experiência foi bastante proveitosa e foi possível não apenas tirar os professores da rotina da sala de aula, mas também levá-los a conhecer mais sobre o município onde trabalham. Afinal  de contas, conhecer sua própria realidade constitui um passo fundamental e é papel da Educação propiciar meios adequados para que os alunos sejam apropriados de uma visão crítica sobre a realidade em que ele está inserido. E a Geografia é uma das disciplinas que melhor permitem a interação do homem ao seu espaço, sendo um instrumento indispensável para a mediação do aluno com seu meio ambiente. Daí ser fundamental trabalhar a Geografia do Moreno no ensino básico, capacitando os professores e tornando-os aptos a realizar uma melhor interação e compreensão ao aluno sobre sua realidade.

Porém, uma das medidas tomadas pela atual gestão, nesta crise da Educação do Moreno, foi justamente a extinção da Equipe de Ensino da Secretaria de Educação, acabando com um trabalho pedagógico que mal avisa iniciado!! É uma verdadeira pena já que as ações ficam sem continuidade e acabam tendo pouco ou nenhum resultado! Vejam as fotos: